Ecologia política dos desastres: o terremoto de 2016 no Equador

quito, 09 agosto 2018 PDF

Portada del libro: Ecología política de los desastres, el terremoto del 2016 en Ecuador

"Ecologia política dos desastres, o terremoto de 2016 no Equador", é um livro que recolhe artigos sobre o terremoto desde a perspectiva da ecologia política onde se sublinham situações de pobreza, necessidades básica insatisfeitas das comunidades nas áreas afetadas, desigualdades que persistem mas também a grande solidariedade com a qual as pessoas responderam à emergência.

O livro é coordenado por Elizabeth Bravo e como coautoras, Veronica Freire, Viviana Pino, Veronica Aguilera, Carolina Moyano, formadas na carreira de Gestão para o Desenvolvimento Local Sustentável.

Rosa Rodriguez, da Fundação Heifer, afirma que "o livro nos faz olhar as dinâmicas sociais de uma perspectiva crítica quando os desastres acontecem, pensando-os não só a partir dos conceitos de vulnerabilidade, resiliência, ecologia política, mas como um centro de reflexão sobre o tema do poder". "Éramos setores empobrecidos antes do terremoto, mas depois disso o problema piorou. Graças aos processos históricos de resistência e solidariedade em Muisne, a população se organizou considerando o desastre como uma oportunidade para salvar vidas e iniciar planos de resiliência e reconstrução" , diz Edgar Tello, da Fundação José Peralta. 

O evento contou com a presença de P. Javier Herrán, reitor de A Salesiana e José Juncosa, vice-reitor da sede Quito, reconhecendo estudantes de organizações populares do Equador que pertencem a povos e comunidades indígenas e procuram mudar as realidades de pobreza e marginalização . "Para a instituição é importante ligar universidades, professores e alunos com outras realidades para repensar a sociedade e olhar para ela com olhos novos em circunstâncias extremas", disse o diretor da carreira de Gestão para o Desenvolvimento Local Sustentável, Pablo Ortiz.

 

Carrera: gestión para el desarrollo local sostenible



Ir a Noticias UPS